.

.

Núcleo de Apoio às Portadoras de Endometriose - NAPE

Oi gente!!!!

Hoje venho trazer uma boa notícia!!!

Após toda a minha luta contra a Endometriose, todo o sofrimento que eu e meu marido passamos, nesses anos de batalha contra a doença e contra a infertilidade, nos fez ter compaixão das pessoas que passam pelos mesmos problemas.

Sigo muitos fóruns sobre o assunto e sei o quanto nós, portadoras, sofremos!

Costumo dizer que a Endometriose dói no corpo e dói na alma!  Além das cólicas incapacitantes, ainda temos que lidar com a família que muitas vezes não entende porque sentirmos tantas dores, com o chefe que acha que faltamos no trabalho porque estamos fazendo "corpo mole", com os parceiros que muitas vezes não entendem que sentimos dores durante as relações sexuais.... e para mim o que foi a parte mais dolorosa, lidar com a infertilidade.

Eu não entendia e não aceitava aquela situação.
Poxa!  O meu maior sonho era ser mãe!
Porque eu não poderia ser?
Porque foi retirado de mim essa possibilidade?
Porque os médicos não descobriram essa doença antes?

Eram tantos questionamentos que me dificultavam ainda mais levantar e lutar!
A terapia me ajudou muito, mas o que mais me deu forças, sem dúvida nenhuma, foi meu marido!
Ele também sempre sonhou com a paternidade, sempre quis ter filhos... quando nos casamos, há dois anos e meio, já queríamos aumentar a família, mas isso não aconteceu!

Sofremos demais!

Fiz a cirurgia para "limpar" o meu organismo da doença, diversos órgãos afetados, em seguida partimos para as Fertilizações in vitro!  Precisamos de 4 tentativas para enfim conseguir a tão sonhada gravidez... sem contar que passamos por dois abortos, momentos que eu não gosto nem de lembrar!

Hoje estamos aqui, quase 33 semanas de gravidez, esperando o Gabriel e Mariana!
A espera mais doce e maravilhosa na vida de um casal.

E essa vitória só foi possível devido a uma liminar judicial que obrigou o meu plano de saúde a arcar com todos os gastos das minhas fertilizações.
A minha cirurgia e a primeira tentativa foram pagas por nós, as outras três FIVs foram pagas pelo meu plano.   Além de todo procedimento, o plano arcou com toda a medicação e exames, inclusive pós aborto.  Eles ainda custearam todas as consultas e exames do pré natal, além de arcar com os gastos do parto.  O médico que me assiste não aceita convênio, apenas particular, por isso que o convênio precisa arcar com estes gastos também.

Após tanto sofrimento e tanta luta eu e meu marido decidimos ajudar as famílias que são acometidas pela Endometriose, principalmente em relação à liminar judicial.
Todas temos esse direito!   Precisamos nos munir de informações para lutar a nosso favor.

Abraçamos essa causa e esperamos ajudar muitas pessoas!
Foi dessa forma que criamos o Núcleo de Apoio às Portadoras de Endometriose - NAPE



Para facilitar, criamos um grupo fechado no Facebook para trocarmos informações.

Deixo aqui o link e nos encontramos lá!


Super beijo

Faby
@Faby_mamaedegemeos

Share on Google Plus

Sobre Fabiana Cayres

Fabiana, 34 anos, especialista em Tecnologia da Informação. Portadora de endometriose e após quatro tentativas de Fertilização in vitro, tornou-se a mamãe dos gêmeos Mariana e Gabriel. Neste cantinho vou compartilhar com vocês a rotina maluca de uma mamãe de gêmeos que não tem ajuda para cuidar dos pequenos. Sou mamãe de primeira viagem e de gêmeos!

0 comentários :

Postar um comentário